26 atividades que ajudaram as pessoas a fazer as pazes com seus corpos

Não precisa ser maromba.

Pedimos para as pessoas do BuzzFeed Community nos contar quais atividades e mudanças de hábitos as ajudaram a fazer as pazes com seus corpos. Aqui estão algumas dicas:

1. Mudar o visual.

lisavirgo / Via instagram.com

“Eu tingi meu cabelo de um tom vibrante de roxo, o que foi uma experiência incrivelmente libertadora. Quando me olho no espelho, não vejo meus 'defeitos'. Vejo como estou linda!” — Dangel3272

2. Artes marciais.

"Você aprende o quanto pode ter poder e controle, não importa seu tamanho ou habilidade. Você descobre uma força e uma confiança que nunca acreditou serem possíveis. E, como mulher, também aprende a se defender e começa a caminhar de cabeça erguida, porque se precisar vai saber como dar porrada. Apenas certifique-se de encontrar um dojo ou uma aula na qual você se sinta confortável e um instrutor que seja paciente e gentil." — S CA Sievers, Facebook

3. Roller derby.

tjmakay / Via instagram.com

"Não há nada como patinar com um grupo surpreendentemente diversificado de pessoas (incluindo homens!) para mostrar que você pode ser forte e rápida, não importando seu tipo físico ou peso. Sem contar que seus companheiros de equipe vão super te incentivar e te amar independente da sua aparência."— maddyk40c2de9be

4. Comédia stand-up.

"Escuto colegas comediantes fazendo piadas sobre si mesmos e seus corpos todas as noites como uma forma de sentir que têm controle sobre essa questão." — Jason Brent, Facebook

5. Pole dance.

"Perdi algum peso, como queria, mas agora meço minha boa forma de outras formas, como por meio da força e flexibilidade, minha capacidade de estar focada e motivada. Estou sempre aprendendo um novo giro, uma postura ou movimento. Todos na comunidade de pole dancers são muito encorajadores também. A prioridade definitivamente é se divertir e arrasar, não ficar com o corpo assim ou assado." — Tristen van den Berg, Facebook

6. Levantamento de peso.

chasingmichaelmills / Via instagram.com

"Comecei a levantar peso com uma amiga e mudei meu foco, de perder peso para fica mais forte. Como tenho priorizado a minha capacidade de levantar bastante peso, comecei a me alimentar melhor em vez de contar calorias, e isso me ajudou na recuperação de um transtorno alimentar. E, é claro, ver minha amiga torcendo por mim, quando termino uma série mais sofrida, faz com que eu me sinta bem o dia todo!" — Adrienne Grace Collins, Facebook

7. Escrever uma carta para você mesmo(a).

"Tive um transtorno alimentar por mais de dez anos, e aos 21 anos estava internada, lutando pela minha vida. Minha ficha caiu lá: eu escrevi uma carta para o meu corpo e fiz meu corpo escrever uma carta de volta. Naquelas cartas, percebi que estava punindo meu corpo por fazer a única coisa para a qual ele foi criado para fazer: sobreviver. Até hoje, sempre que luto com minha imagem corporal, leio aquelas cartas." — Alyee Willets, Facebook

8. Natação

"Entrei para uma equipe de natação quando tinha 12 anos, o que me ajudou a ver meu corpo como uma ferramenta forte e habilidosa. Aqueles anos constrangedores do ensino fundamental (e mais tarde, ensino médio) foram repletos de treinamento e corridas, e minha confiança cresceu aos trancos e barrancos! Espero que no futuro eu siga amando meu corpo pelo que ele pode fazer por mim, em vez de abominá-lo por não se adequar 100% aos padrões da sociedade." — RMW1007

9. Aprender a se maquiar.

poeticdrugs / Via instagram.com

"Comecei a me maquiar muito bem e comecei a ver meus traços como belos, mesmo depois de tirar a maquiagem." — courtneymariec

10. Zumba

"Zumba é onde finalmente entendi que, mesmo que meu corpo não fosse perfeito, eu podia me mover e dançar com muita paixão e energia. Sou muito grata por isso." — Brieanna Romero

11. Fazer uma tatuagem.

"Eu era insegura por causa da acne nos meus ombros, ao ponto de não usar regatas no verão. Então, fiz uma tatuagem ali! Ainda tenho um pouco de acne na região, mas apesar dela me sinto muito mais confortável, porque minha tatuagem me ajudou a amar essa parte do meu corpo." — EllaJD

12. Ioga

mynameisjessamyn / Via instagram.com

"Quando comecei a praticar ioga, descobri que era muito mais forte e flexível do que pensava. Perceber que meu corpo era uma máquina funcional, em vez de uma decoração, me fez sentir grata por ele. Comecei a tratá-lo melhor, e, em troca, me senti melhor." — Helene Støvring, Facebook

13. Transar

"Quando comecei a transar, percebi que nessa hora ninguém se preocupa realmente com seus 'defeitos'. Isso me fez perceber de uma vez por todas que eu podia relaxar completamente e fazer algo divertido sem me preocupar com meu corpo." — Melissa Williams, Facebook

14. Transar (sozinha).

"Por volta dos 13 ou 14 anos, descobri a masturbação, o que abriu meus olhos para como meu corpo é belo e forte. Acredito que ter uma vida sexual consigo mesma faz muito bem para sua autoestima." — Bailey Jane Borchardt, Facebook

15. Treinar em grupo.

novemberproject / Via instagram.com

"O meu se chama "Project November". Eles dão uma super força, celebrando não apenas o progresso, mas o esforço também. Ao me receberem de braços abertos, eles me fizeram perceber que mereço ser aceita, independente da minha aparência. Eles se tornaram minha família." — EJ Klein, Facebook

16. Ser líder de torcida.

"Isso fez eu me sentir muito mais confiante em minha própria pele. Sou plus-size, mas também sou forte — passo dois dias por semana levantando minha parceira com os braços como se ela não pesasse nada! Quando coloco meu uniforme, não importa se minha barriga não é lisa ou se eu tenho coxas enormes. Sou uma líder de torcida do caralho e sou incrível." — 20s0mething

17. Bambolê

bellamonika / Via instagram.com

"Sofro de transtorno alimentar há dez anos, mas, há três, descobri o bambolê. Eu costumava odiar muito o meu corpo, mas agora sou grata pelo que ele consegue fazer. Sem meu corpo devidamente alimentado, eu não conseguiria lacrar dançando com o bambolê!" — elliemanw

18. Ficar pelada.

"Quando morava sozinha, passava muito tempo pelada. No começo, eu realmente não gostava do que via, mas eventualmente comecei a simplesmente aceitar. Minha barriga não é boa nem ruim. Simplesmente está lá. Meus pés não são feios, são apenas pés. Ver as minhas partes que me esforçava para esconder o tempo todo me fez sentir muito menos insatisfeita com minha aparência, com e sem roupas." — Jacqueline Lee, Facebook

19. Dança do ventre.

"Há quase três anos, comecei a ter aulas de dança do ventre como uma forma divertida de me exercitar. Eu só queria suar um pouco, mas acabamos nos apresentando em festivais e vários eventos também!" — Dikatdancer

20. Fazer trilha.

hayleyhermsofficial / Via instagram.com

"Sou gorda e tenho uma infinidade de problemas de saúde, mas, quando consigo chegar ao topo da montanha, me sinto invencível. Tem sido um grande impulsionador de confiança para mim." — Tara Woods, Facebook

21. Crossfit

"Comecei há cinco meses e mudou minha vida. Comecei a amar meu corpo, não porque ele mudou muito fisicamente, mas porque ele está constantemente me mostrando do que é capaz. Eu não conseguia correr 400 m quando comecei, mas ontem consegui correr 5 km. Fique tão feliz que chorei! Meus treinadores e meus amigos são muito encorajadores também. Ainda tenho um longo caminho para percorrer, mas finalmente me sinto como se não precisasse fazer isso sozinha." — Sue Thought, Facebook

22. Desenhar

"Ser uma artista e aprender a desenhar e apreciar muitos tipos físicos e rostos únicos e peculiares realmente ajudou em minha autoestima e a me aceitar como gay. Se eu desenhar um personagem propositalmente com cicatrizes, sardas, modificações corporais ou uma barriga, e tiver orgulho dele, por que não me orgulharia dos meus próprios 'defeitos'?" — nekoboy999

23. (Especialmente desenho anatômico)

"Entrei na puberdade cedo, o que fez eu me sentir muito maior do que meus colegas e, sucessivamente, inadequada. Fui infeliz com meu corpo até os 18 anos, quando participei da minha primeira aula de desenho anatômico nu e vi corpos de várias idades, pesos e formas. Todas as mulheres que ficaram nuas naquela sala lotada, com nada a esconder, me ensinaram sobre positividade corporal sem sequer dizer uma palavra. Elas jamais saberão o que fizeram por mim, mas serei eternamente grata a elas." — tessmarie

24. Correr

runningonmylastleg / Via instagram.com

"Não tenho um corpo tradicional de corredora. Quando percebi que correr não me faria perder peso magicamente, simplesmente comecei a apreciar o que meu corpo conseguia fazer e comecei a amá-lo mais. Estou competindo contra mim e ninguém mais." — veronical4e390d725

25. Rugby

"O rugby feminino atrai mulheres de todas as etnias, sexualidades e identidades de gênero, portanto, há uma verdadeira sensação de aceitação e transparência que você não encontra em nenhum outro lugar. Sempre estive acima do peso e não fui atlética durante a maior parte da minha vida, mas alguém com qualquer tipo físico ou nível de atletismo pode jogar, contanto que esteja disposto a se empenhar. Realmente é um esporte de equipe e me fez perceber como eu era forte." — r45d940aec

26. Tocar violino (ou o que te fizer feliz).

"Comecei a tocar violino, que é a coisa que mais amo. Me trouxe tanta felicidade que impulsionou minha autoconfiança. Então meu conselho é: faça coisas que te fazem feliz, seja lá o que for. Você consegue. Você tem um corpo incrível, que faz tudo que pode para mantê-lo vivo, e você é um milagre." — lisah4ca0a0d8a

Observação: as respostas foram editadas por questões de tamanho e/ou clareza.

Veja também:

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Este post foi traduzido do inglês.